As razões que a própria sacanagem desconhece

Que todo mundo tem um dia de malandro isso é fato. Todo mundo tem um dia que diz que vai ligar e não liga, que sente vontade de pular a cerca, que mente para o chefe que está passando mal, que come mais do que a fome pede e tudo mais. Somos humanos.

Mas então o que leva a pessoa a se fingir de coitado? A manter nos momentos de brigas um ar de coitadinho? De desentendido? De abandonado? Não gosto disso. Prefiro as pessoas que partem pra cima, que brigam com coragem e dignidade, com força, com garra! Que seja por ciúmes, por loucura, por sacanagem e tudo isso junto, mas por favor, meu amor, não dê um passo que me faça acreditar que o máximo da sua maldade é fingir-se de coitado.

Anúncios

A verdadeira amizade

Então, faz de conta que é sexta-feira a noite, estamos num bar. Somos em cinco pessoas conversando sobre assuntos comuns. Eu visto um jeans velho, um casaquinho fino, pois faz frio na noite paulista, estou de star branco e um bolsa Balenciaga. Trago o cigarro na bolsa (ninguém é perfeito), meu celular, batons e outras coisitas mais.

Meu amigo ao lado pede mais uma dose de wisky, eu completo meu copo com cerveja enquanto rio muito do último ‘causo’ contado.

Quando você está nesses momentos com os amigos falta alguma coisa? Você sente medo, receios, insegurança? Eu não! Amigos são mais que jóias raras, são verdadeiros baús de tesouros que devemos preservar pra sempre.

Se um dia você casar, descasar, se um dia você brigar com o namorado, se um dia você quiser largar tudo e virar hippie pode ter certeza que terá alguém do seu lado. E não será a pessoa que você julga ser o amor da sua vida e sim será o SEU AMIGO, pois a amizade é um amor que nunca acaba. Preserve isso!

Eu tenho vários colegas, mas amigos (as) mesmo são pouquíssimos, conto com os dedos de uma mão só, mas eles me completam muito mais que qualquer outra coisa.

Não estou escrevendo isso porque hoje é dia do amigo, ou porque recebi uma corrente e seu eu quebrar vou ter 10 anos de má sorte e meu cabelo vai cair. Escrevo isso por pura SAUDADE, mas com a alegria que construi nessa vida a coisa mais linda que há: VERDADEIRAS AMIZADES.

Como receber um fora sem perder a classe

Você, mulher moderna, cansada desse mundo machista e patriarcal resolve que chegou o momento de se declarar aquele sujeito bobalhão, que usa óculo, tem uma barriguinha de choop e ouve Tears For Fears, mas, que por sabe lá o quê, você resolveu intitulá-lo de ‘o homem da minha vida’.

Já faz algum tempo que vocês se encontram, escondido, é claro. Porque ele tem namorada , é óbvio – mulheres modernas que se prezem precisam de um homem comprometido em suas vidas. Mas, por favor, limitem-se apenas aos homens com namoradas, homens casados são muito complicados. E quando tem filho, então, deusôlivre! Vai por mim, mulher moderna!

E quanto mais tempo de namoro o sujeito tiver, melhor, pois maior será a glória quando ele resolver definitivamente ficar somente com você. (Nesse ponto entra a questão que você será a namorada, e que, logo logo, aparecerá uma outra mulher para roubá-lo de você, assim como você fez um dia. Ou seja: a vida é um ciclo, ou você aprende a se divertir com isso ou se tornará uma velha chata e solteirona.)

E antes que os homens se sintam poderosos é preciso deixar bem claro que mulheres modernas não precisam de muitos sentimentos para trair. Quem cometeu a blasfêmia de dizer que mulher só trai quando tem sentimentos?

Homens, vocês não entendem nada! Mulheres modernas lêem Nelson Rodriguês que sabiamente citou a frase “é preciso trair para não ser traido”. É isso, prestem atenção: se você traiu a sua mulher, contou a ela e a considerou um ser superior por simplesmente ter te perdoado sem fazer qualquer escândalo, cuidado rapaz! É bem capaz dela não ter brigado com você porque transou com seu melhor amigo naquela festa do ano passado. E pelas contas, vocês estão num empate de chifres.

E mais: nós mulheres modernas sabemos que, na verdade, vocês somente se apaixonam pela gente, mas não nos levam a sério porque estamos fazendo algo fora da ordem, num português mais claro e xulo: estamos trepando sem compromisso. Ponto.

Voltando ao assunto principal: você, mulher mega moderna, resolve dizer aquele famoso ‘eu te amo’ para o principe com cara de sapo, mas que mesmo assim você acha que ama. Claro que apenas “acha”, mulheres modernas são impulsivas e adoram meter os pés pelas mãos.

Você, então, já totalmente nua sobre a cama, ele em cima de você, olhando profundamente em seus olhos, mão com mão, pé com pé, beijo na boca e você diz:

“eu amo você”

Ele diz:

“ama mesmo?”

Você afirma com a toda certeza do mundo:

“eu sei que te amo”

Então ele te enche de beijos por aproximadamente 5 minutos e diz:

“você é linda”

Nessa hora, minha amiga, respira fundo, mas sem ele perceber o seu desapontamento, faz cara de blasé e concentre-se nos defeitos do rapaz. Continue lá brincando de momento feliz, mas perceba que por trás do homem da sua vida existe um homem medroso, que não tem coragem de viver uma grande aventura como num cinema. Que ele não será capaz de dançar com você na chuva, tampouco te levará aquele restaurante francês. E o mais importante de tudo: ele é um idiota que está traindo uma pessoa legal. Sim, você já parou pra pensar que a outra mulher da vida dele é uma pessoa legal? Tenha certeza que é. Tenha certeza que ela poderia ser sua melhor amiga, sua irmã, sua mãe. Tenha certeza que por mais moderna que seja sua vida tem algo fundamental na vida: respeito ao próximo! Portanto, se ele não tem com ela algum tipo de relacionamento aberto – aquele que o casal pode pular a cerca com o consentimento do outro – ele não serve para você, ele não é o homem da sua vida, nem dela! Porque ele finge que está tudo bem, vive uma vida dupla, quanto na verdade a vida dele é um mentira em função de seu desejo sexual descontrolado, praticamente um animal selvagem.

Agora você já estará arrependida do “eu te amo” que acabou de dizer.

Agora você olha pra ele e o vê como um homem comum.

Pronto, você saiu bem do grande fora da sua vida, pronta para outro e outros e outros. Sim, mas cuidado. Não esqueça que a vida é um clico repetitivo e a chance disso acontecer novamente não deve ser descartada.

Ok. O importante é viver intensamente e não se arrependa de coisas que você não fez. Se jogue sempre!

(Ah, claro, você tem o total direito de chorar por três noites seguidas, mas se passar disso, liga pra ele e marque mais um encontro só pra matar a saudade, mas agora sem declarações estúpidas de amor, por favor.)

E que seja possível ser assim…

Eu sou um tanto confusa com pequenas coisas, porque para as grandes coisas eu sempre sei muito bem o que eu quero ou não. Mas eu fico perdida com os detalhes, deve ser coisa de virginiana. As vezes sinto falta de cair na gargalhada ao lado dele, outras vezes acho que gargalhamos demais e esquecemos de tirar nossas roupas. E assim eu fico nessa brincadeira de tentar equilibrar o nosso relacionamento, eu não digo isso a ele. Isso é outra peculiaridade minha – eu não digo, apesar de adorar conversar. Isso é possível?

Esse não dizer é que faz de mim o que sou para mim mesma. Para que fingir que não tenho máscaras? Eu tenho algumas.