Canudos

Então ele me ensinou a olhar dentro dos canudos, aqueles soltos, sem a capinha de papel branca. Olha lá dentro, tem uns pontinhos pretos, está vendo? São fungos, bactérias, e quando você sugar sua saborosa coca-cola não vai perceber a sujeira descendo por sua garganta. Terrível.

Não me lembro ver esses canudos encapadas há algum tempo atrás, inventaram agora. Coitados dos canudos sujos sem capa, coitados dos fungos.

Agora quando chego ao restaurante vejo se têm canudos encapados e me lembro dele analisando o canudo como se olhasse aquelas fotos pequeninhas de ver com um olho só. Parecíamos duas crianças analisando os pontinhos pretos dos canudos desencapados. Eu, agora, olho os canudos sem capa com desdém e o garçom me olha estranho. E minha timidez não deixa explicar a história dos canudos desencapados.

Coisa boba esse papo de canudos sujos, alguém já morreu por causa deles? E aquele tal de Dermacidy e similares.

Mulher agora precisa diariamente limpar a dita cuja com Dermacidy, senão fica suja. Essa é a nova idéia, novo conceito de ‘periquita limpa’. Daqui a pouco vou sair de casa enrolada num papel, e num futuro não muito distante terei uma redoma, uma bolha, para ninguém, muito menos fungos, chegarem até mim.

Anúncios