Renato Russo, blues e cinema

Quando eu tinha 16 anos ouvia todas as canções da Legião Urbana. Hoje acho as letras um pouco ‘auto-ajuda’, o qual não gosto muito. Porém, é indiscutível que Renato Russo foi uma figura muito interessante e importante para a música dos anos 80. Uma pena não haver mais bandas de rock nacional com letras interessantes. A última banda que conheço com letras significativas é O Rappa, que surgiu nos anos 90. De lá pra cá somente essas bandas montadas para adolescentes, fracas demais. (Charlie Brow Jr, CPM22, NX Zero e outras mais…). É claro que temos ótimas bandas novas surgindo por aí, mas a referência aqui é o rock-pop nacional.

Eu estava agora mesmo ouvindo as músicas do meu LapTop naquele modo que toca aleatoriamente. E foi então que ouvi um blues com uma voz conhecida. Renato Russo cantando blues? Como assim eu nunca ouvi? Será que tenho tanta música no LapTop ao ponto de não ter ouvido todas ainda? Que distração, Lia!

A música é Boomerang Blues, está no CD Presente e não foge ao estilo melo-dramático do Renato Russo:

Tudo o que você faz
Um dia volta pra você
Tudo o que você faz
Um dia volta pra você
E se você fizer o mal
Com o mal mais tarde você vai ter de viver

Não, eu não gostei dessa letra, mas o som!!!! Ah, o som!!! Contagiante como todo e velho blues deve ser. Pesquisei no You Tube e não encontrei a canção com o Renato Russo, mas tem uma boa na voz do Paulo Ricardo (ele é brega, mas é legal e um gato! Rs):

Bem, já comentei do Renato Russo, da música e agora direi sobre o cinema: vocês sabiam que existe um projeto para o filme Faroeste Caboclo? Sim, sim! A história de João de Santo Cristo. Legal! Se feito por pessoas bacanas será um belo filme. Porém, a idéia do filme existe desde 2006, mas há um processo judicial envolvendo a gravadora e familiares que impede o uso das músicas da Legião Urbana…uma pena.

Anúncios

Modinha

E na moda de ser desiludido, a modinha não é de hoje.

Modinha

Composição: Tom Jobim / Vinícius de Morais

Não, não pode mais meu coração
Viver assim dilacerado
Escravizado a uma ilusão
Que é só desilusão
Não, não seja a vida sempre assim
Como um luar desesperado
A derramar melancolia em mim
Poesia em mim
Vai, triste canção, sai do meu peito
E semeia emoção
Que chora dentro do meu coração

Quem tem amigo tem tudo

ceu-nublado.jpgTenho uma coleguinha de trabalho que vez ou outra solta essa célebre frase. Quem tem amigo tem tudo. E é mesmo. Eu, por exemplo, agradeço aos céus todo santo dia por eu ter amigos com gostos musicais peculiares. Ah, como agradeço!

Enfim, eu tenho um amigão que é um gênio em encontrar bandas legais e estranhas e toda vez que volto pra Sampa ele me entrega um CD com as novas sensações no mundo ‘Lado B’. Eu amo!

Abaixo a últimas bandas que conheci através dele.

(Desculpem se alguém já conhece, mas para mim foi tudo novidade, com exceção daquelas músicas que causam aquela impressão: já ouvi isso em algum lugar….)

1. Band of Horses. Conheça a banda clicando aqui. Compre o CD por aqui.

2. Cat Empire. Conheça a banda clicando aqui. Compre o CD por aqui.

3. Dr. Dog. Conheça a banda clicando aqui. Compre o CD por aqui.

4. Interpol. Conheça a banda clicando aqui. Compre o CD por aqui.

5. Kula Shaker. Conheça a banda clicando aqui.

6. Management. Conheça a banda clicando aqui. Compre o CD por aqui.

7. Rogue wave. Conheça a banda clicando aqui.

8. The shins. Conheça a banda clicando aqui. Compre o CD por aqui.

9. The Walkmen. Conheça a banda clicando aqui.

10. Vampire Weekend. Conheça a banda clicando aqui.

11. Wolf Parade. Conheça a banda clicando aqui. Compre o CD por aqui.

E aí? Você conhece?

Alanis Morissette, um pouco de mim

Passei toda a minha adolescência ouvindo Alanis Morissette. Eu tinha um cabelão como o dela, me vestia como ela e até hoje tenho uma gaita, como ela.

Eu a achava intensa, criativa, fazia umas letras legais e acima de tudo era roqueira. Porém, depois do CD Supposed Former Infatuation Junkie ela começou a ficar pop demais. E não foi um ‘ficar pop’ com estilo e personalidade, ela foi se apagando, se perdendo… Não entendo o que ela fez com o próprio som. Eu ouvia os CD’s e entrava em total desespero: CADE OS SONS PESADOS DA GUITARRA?

Ela caiu no meu conceito e toda a minha idealização de uma mulher legal e interessante se desfez. Cortei um pouco o cabelo, guardei a gaita numa caixinha de coisas velhas e ponto. Acabou. Cresci, virei uma mulher adulta com vinte e muitos anos.

Ontem estava remexendo minhas coisas e encontrei a gaita. Sorri. Adoro esses pedaços do passado que encontramos no meio do caminho. Eu realmente tinha me esquecido da Alanis Morissette, mas veio tudo a tona: as músicas boas, o estilo, a voz gritante… uma pedaço da minha vida. É tão bom.

Ainda não toquei a gaita, mas ela está sobre a mesa da cozinha. Logo, logo tocarei alguma coisa. Será que me lembro? Vamos ver o quanto os vizinhos irão reclamar!

It’s like rain on your wedding day
It’s a free ride when you’ve already paid
It’s the good advice that you just didn’t take
Who would’ve thought… it figures

Seja mais verdadeiro, menos banal

Eu costumo odiar quem reclama da vida. Nada mais chato e anti-social que aquela pessoa que nunca está bem. Quando você pergunta apenas educadamente “oi, tudo bem?” a pessoa responde “nada bem” e começa a relatar todos os problemas. Pura chatice! Puro desejo que os outros pensem “coitada, que vida sofrida”. Eu fico me perguntando como uma pessoa pode gostar de parecer frágil perante as outras. E pior, levar uma vida que não quer, num emprego que não quer, ao lado de alguém que não gosta, apenas porque “ah, tudo é tão complicado”. Não, não é! A vida tem seus obstáculos sim, mas basta você querer e saber o que quer para fazer tudo dar certo! Acredite! Não existe frase melhor do que aquela “a felicidade está dentro de você” (é piegas, eu sei, mas muito verdadeiro!).

Eu posso estar mal, muito mal, triste por alguma coisa relevante, mas se me perguntarem como eu estou forço sim um leve sorriso e digo “tudo bem”. Isto não é uma questão de parecer uma coisa que não sou, é apenas a educação básica que aprendi. Se for uma pessoa mais intima, ela terá o bom senso de não fazer essa pergunta num momento ruim.

E partindo desse princípio básico da educaçãozinha que aprendemos na infância, é agradável que você também não seja uma pessoa grudenta demais, que mal conhece e chega abraçando, pegando, fazendo aquele famoso movimento do tapinha nas costas, ou pior aquele outro que consiste com o dedo em riste ‘futucar’ o braço alheio. Ah, sim, também tem aquele grotesco enlace dos braços seguido da frase ‘menina, deixa eu te contar uma coisa’. Essa frase pode ser substituída por algum comentário divertido, sem ofensas alheias, que não necessite de contato físico no primeiro momento (deixe para falar mal da vida alheia com uma pessoa que conheça bem, tenha um grande grau de confiança, e, principalmente, que já lhe confessou algum grande defeito. Pra mim, essas pessoas confessionárias de suas fraquezas são aquelas que você mais pode confiar.)

Todos abraçam e beijam como se isso fizesse parte do dia-a-dia, como se fosse igual a comer e tomar banho, mas não é! Não seria mais interessante e verdadeiro se preservássemos um pouco mais isso? Se não fosse necessário dar dois beijos em quem acabamos de conhecer? Vai me dizer que você sentiu vontade de tocar sua bochecha nessa outra nova bochecha que acabou de aparecer na sua frente? Vai me dizer que sim?

Não vamos banalizar nossos belos gestos. Ainda acho o ser humano incrível, mas infelizmente ele tem a terrível capacidade de transformar coisas especiais em pequenas coisas.

(Ouvindo Vanessa da Mata – Absurdo)

Los Hermanos

Eu costumo dizer que a graça de tudo está em saber a hora certa de parar. Los Hermanos fizerma bem, pararam a banda naquele momento em que escuto todos os CD’s e penso “puta banda do caralho” (sim, tem que ser com essas palavras).

E para a felicidade continuar é só seguir as encruzilhadas. No site oficial da banda dá pra saber o que os integrantes da banda estão fazendo.

Para quem não conhece a banda, You Tube:

Retrato pra Iá-iá: http://www.youtube.com/watch?v=FdBVEH6ft0Y

Fingi na hora rir: http://www.youtube.com/watch?v=wfr5csZ2evQ

Todo Carnaval tem seu fim: http://www.youtube.com/watch?v=QBcwQiQoz0E

Conversa de Botas Batidas: http://www.youtube.com/watch?v=iADlkMw4Pcg

Marcelo Camelo e Sandy & Junior: http://www.youtube.com/watch?v=Wqr39nDcSoA

Para comprar CD e DVD num preço bacana:

Arnaldo Antunes x João Gilberto

Li sobre uma certa aproximação musical no estilo de Arnaldo Antunes a João Gilberto. Fiquei curiosa! Paquito, no Terra Magazine disse assim: “Há um certo tom infantil, um despojamento que aproxima Arnaldo de João Gilberto, algo que já ocorria no disco dos Tribalistas.” Será? 

Quem quiser conhecer o trabalho de Arnaldo Antunes, clique aqui. E o mestre João Gilberto, aqui.

Quem quiser conferir o ex-Titâs: Sesc Vila Mariana – SP, nos dias 05, 06 e 07 janeiro/2007.

Não sei se volto aqui antes do Natal. Então, já adianto meu Feliz Natal e um abraço apertado aos meus lindos amigos e amigas. Adoro! Fiquem com Deus :)

Uma boa música

Quando estou triste gosto de ouvir essa música. Me dá uma alegria!

Telegrama
Composição: Zeca Baleiro

Eu tava triste tristinho/ mais sem graça que a top model magrela na passarela/ eu tava só sozinho/ mais solitário que um paulistano/ que um vilão de filme mexicano/ tava mais bobo que banda de rock/ que um palhaço do circo vostok/ mas ontem eu recebi um telegrama/era você de Aracaju ou do Alabama /dizendo nego sinta-se feliz /porque no mundo tem alguém que diz/ que muito te ama/ que tanto te ama /que muito te ama que tanto tanto te ama
(refrão)
Por isso hoje eu acordei com uma vontade danada de mandar flores ao delegado/ de bater na porta do vizinho e desejar bom dia/de beijar o português da padaria (2x)
mama oh mama/ oh mama/quero ser seu/quero ser seu/quero ser seu/ quero ser seu papa
Eu tava triste tristinho/mais sem graça que a top model magrela na passarela/ eu tava só sozinho/ mais solitário que um paulistano/ que um canastrão na hora que cai o pano/ tava mais bobo que banda de rock/ que um palhaço do circo vostok/ mas ontem eu recebi um telegrama/ era você de Aracaju ou do Alabama/ dizendo nego sinta-se feliz/ porque no mundo tem alguém que diz /que muito te ama /que tanto te ama/ que muito muito te ama que tanto te ama

(refrão)

Para comprar o CD, clique aqui.