Não consigo ter Twitter

Muitos dizem que os blogs estão indo para um buraco escuro e triste devido à chegada do twitter, mas se depender de mim, continuarei firme aqui no lado dos blogs, porque o twitter é muito pouco e eu gosto de espaço. É como transar no carro, até pode ser divertido, mas nada melhor que uma cama gigante para que todo o processo possa ser curtido em paz, com tempo, com espaço. ESPAÇO. Não caibo em 140 caracteres, não formulo frases curtas, não compreendo o TweetDeck, pois ele nada mais é que um tirador de atenção e tal e tal e tal. Entendido estamos? Tenho um twitter, posso passar lá de vez em quando, mas gosto mesmo é daqui.

Anúncios

Mundo perdido (não é sobre Jurassic Park)

Esse mundo está perdido e o meu blog também.Vejamos: são alguns anos de vida blogueira e muitos anos de trabalho pesado-escravo-disfarçado-de-intelectual numa empresa de médio porte e o post mais visitado no meu blog chama-se “Lista dos homens mais bonitos“, tem coisa mais desnecessária? E o blog TODOSANTODIA recebe comentários de meninas indignadas com a lista, porque um tal de Zac Efron deveria estar lá, o cara do Crepúsculo também e, principalmente, o novo galã do mais novo seriado americano.

Mas eu tenho chefe (sou índia mesmo). E enquanto ele está ao lado da minha mesa meu e-mail “pisca” três vezes com a chegada de novos e-mails. O título: “Novo comentário em “Lista dos Homens mais bonitos”. Imaginem a minha cara. Imaginem a cara dele. Pois é.

Tra-lá-lá

Eu sou uma mentirosa, uma estúpida que venho aqui toda vez com aquele blá-blá-blá que não vou sumir mais do blog, que vou organizar melhor a minha vida, que vou ter tempo para ler todos os comentários e respondê-los com dignidade. Mas vocês sabem que eu não vou fazer isso, certo? Amizade é assim: quando se aceita os defeitos. Aceitem os meus, please?

Hummm, estou sem assunto. Medo que aconteça como aquelas amizades falsas que, quando os amigos ficam longe, quando voltam a se encontrar não tem mais assuntos. Será que é a hora de começar outro blog? Estou pensando muito nisso: em falar mais bobagens (hahaha isso é possível), mais cultura pop inútil, mais piadinhas sem graça, mais de tudo e tal.

Eu volto. Eu sempre volto. ;)

Preciso virar o disco

Quando digo que esse blog não acabou meus amigos não acreditam, então voltei pra provar. (me senti “Alien, o retorno” agora). E acreditem se quiser, eu tinha mais de 50 comentários para aprovar, pois, depois de um e-mail que recebi, tive de ativar a opção de aprovação de comentários. Mais trabalho pra mim, que pouco trabalho tenho. Céus!

Como sempre, eu digo que estou sem assunto, mas vocês, queridos leitores, sabem que no fundo eu tenho muito assunto. Porque é natural da humanidade ter assuntos e mais natural ainda fingir que não tem. Porque muitas vezes dá uma preguça de explicar, uma vontade absurda de viver a vida sem explicar nada. Vocês já sentiram isso? Eu sinto sempre que alguém me pede explicações. “Você vai fazer isso? Está louca?” ou “Porque você fez isso?” Ah, como cansa!

Essa semana aconteceu uma coisa estranha comigo no trabalho. Pela primeira vez eu pude sentir o que é o stress no auge da sua proliferação. De repente, do nada, enquanto eu tentava me concentrar para cumprir os prazos comecei a chorar, senti calafrios e uma vontade louca de sair correndo do escritório, mas me contive. Um dia paro de me conter e vocês vão ver só! haha Vamos rir para não chorar mais.

E sabe que eu acho? Que aquela garotinha que sonhava em ser atriz de novela tinha total razão. Mas resolveu seguir o conselho de todos e virou executiva. Pra quê? Pra merda nenhuma.

Um bom fim de domingo a todos. E acreditem que eu sempre volto. Sempre.

A Martha Medeiros

Então, esse blog não acabou, companheiros!

Mas infelizmente continuo sem tempo para esse cantinho.

E para não dizerem que não falei das flores, abaixo um texto da Martha Medeiros, aquela que escreveu o livro Divã, que virou o filme com a Lilia Cabral, que escreveu também ‘Doidas e Santas‘ e mais vários livros legais.

A TRISTEZA PERMITIDA (Marta Medeiros)
Se eu disser pra você que hoje acordei triste, que foi difícil sair da cama, mesmo sabendo que o sol estava se exibindo lá fora e o céu convidava para a farra de viver, mesmo sabendo que havia muitas providências a tomar, acordei triste e tive preguiça de cumprir os rituais que faço sem nem prestar atenção no que estou sentindo, como tomar banho, colocar uma roupa, ir pro computador, sair pra compras e reuniões – se eu disser que foi assim, o que você me diz? Se eu lhe disser que hoje não foi um dia como os outros, que não encontrei energia nem pra sentir culpa pela minha letargia, que hoje levantei devagar e tarde e que não tive vontade de nada, você vai reagir como?
Você vai dizer “te anima” e me recomendar um antidepressivo, ou vai dizer que tem gente vivendo coisas muito mais graves do que eu (mesmo desconhecendo a razão da minha tristeza), vai dizer pra eu colocar uma roupa leve, ouvir uma música revigorante e voltar a ser aquela que sempre fui, velha de guerra.Você vai fazer isso porque gosta de mim, mas também porque é mais um que não tolera a tristeza: nem a minha, nem a sua, nem a de ninguém. Tristeza é considerada uma anomalia do humor, uma doença contagiosa, que é melhor eliminar desde o primeiro sintoma. Não sorriu hoje? Medicamento. Sentiu uma vontade de chorar à toa? Gravíssimo, telefone já para o seu psiquiatra.

A verdade é que eu não acordei triste hoje, nem mesmo com uma suave melancolia, está tudo normal. Mas quando fico triste, também está tudo normal. Porque ficar triste é comum, é um sentimento tão legítimo quanto a alegria, é um registro de nossa sensibilidade, que ora gargalha em grupo, ora busca o silêncio e a solidão. Estar triste não é estar deprimido.

Depressão é coisa muito séria, contínua e complexa. Estar triste é estar atento a si próprio, é estar desapontado com alguém, com vários ou consigo mesmo, é estar um pouco cansado de certas repetições, é descobrir-se frágil num dia qualquer, sem uma razão aparente – as razões têm essa mania de serem discretas.

Eu não sei o que meu corpo abriga/ nestas noites quentes de verão/ e não me importa que mil raios partam/ qualquer sentido vago da razão/ eu ando tão down…” Lembra da música? Cazuza ainda dizia, lá no meio dos versos, que pega mal sofrer. Pois é, pega mal. Melhor sair pra balada, melhor forçar um sorriso, melhor dizer que está tudo bem, melhor desamarrar a cara. “Não quero te ver triste assim”, sussurrava Roberto Carlos em meio a outra música. Todos cantam a tristeza, mas poucos a enfrentam de fato. Os esforços não são para compreendê-la, e sim para disfarçá-la, sufocá-la, ela que, humilde, só quer usufruir do seu direito de existir, de assegurar seu espaço nesta sociedade que exalta apenas o oba-oba e a verborragia, e que desconfia de quem está calado demais. Claro que é melhor ser alegre que ser triste (agora é Vinícius), mas melhor mesmo é ninguém privar você de sentir o que for. Em tempo: na maioria das vezes, é a gente mesmo que não se permite estar alguns degraus abaixo da euforia.

Tem dias que não estamos pra samba, pra rock, pra hip-hop, e nem pra isso devemos buscar pílulas mágicas para camuflar nossa introspecção, nem aceitar convites para festas em que nada temos para brindar. Que nos deixem quietos, que quietude é armazenamento de força e sabedoria, daqui a pouco a gente volta, a gente sempre volta, anunciando o fim de mais uma dor – até que venha a próxima, normais que somos.

Momento Nuvem Negra

Primeiramente esclareço que, apesar da nuvenzinha negra, muitas coisas boas estão acontecendo na minha vida. Outro dia, com mais tempo venho aqui contar. Mas vou falar dos acontecimentos bizarros que aconteceram, simplesmente porque são mais engraçadinhos:

1. Fiz tchau pra uma pessoa achando que era outra.

2. Passei muito mal no avião semana passada.

3. Quebrei o salto do sapato no meio da rua.

4. Troquei palavras dando duplo sentido a frase no meio de uma reunião séria.

5. Levei um fora

6. O chuveiro de casa queimou, detesto água fria.

7. Meu carro quebrou no meio de um congestionamento.

Pois é, aconteceu tudo isso num espaço de 30 dias. Ufa!

No mais, tudo lindo, tudo bem.

Uma frase:

Viver é a coisa mais rara do mundo. A maioria das pessoas apenas existe. – Oscar Wilde

Quando tudo não tem mais jeito

Estou com aquela sensação de “se não der jeito agora não vai ter mais jeito!”. Funciona como aquele guarda-roupa tão, tão, mas tão bagunçado que se não for arrumado será bem capaz da dona sair nua na rua! Deu pra entender o drama?

Ahh!! O que incomoda é esse medo de dizer as coisas aqui no blog, de tentar explicar sem ser objetiva, mas consistente. Alguém me entende? Algum ser desse planera é capaz de olhar lá no fundo dos meus olhos e dizer; eu entendo você.

Se um dia alguém me dizer isso e for do século masculino caso na hora!!!!

Oh, vida dura!!! E MARAVILHOSA também.

Desculpe as bobagens. É a ressaca de wisky barato.

A médica sincera

Chegou por e-mail o texto abaixo. Não sei de quem é a autoria, enfim… vale ler e rir um pouco!

Médica sincera ao ser questionada sobre vários conselhos médicos:

Pergunta: Exercícios cardiovasculares prolongam a vida, é verdade?
Resposta: O seu coração foi feito para bater por uma quantidade de vezes e só… não desperdice essas batidas em exercícios. Tudo se gasta eventualmente. Acelerar seu coração não vai fazer você viver mais: isso é como dizer que você pode prolongar a vida do seu carro dirigindo mais depressa. Quer viver mais? Tire uma soneca !!!
P: Devo cortar a carne vermelha e comer mais frutas e vegetais?
R: Você precisa entender a logística da eficiência… O que a vaca come? Feno e milho. O que é isso? Vegetal. Então um bife nada mais é do que um mecanismo eficiente de colocar vegetais no seu sistema. Precisa de grãos? Coma frango.
P: Devo reduzir o consumo de álcool?
R: De jeito nenhum. Vinho é feito de fruta. Brandy é um vinho destilado, o que significa que, eles tiram a água da fruta de modo que vc tire maior proveito dela. Cerveja também é feita de grãos. Pode entornar!
P: Quais são as vantagens de um programa regular de exercícios?
R: Minha filosofia é: Se não tem dor… tá bom!
P: Frituras são prejudiciais?
R: VOCÊ NÃO ESTÁ ME ESCUTANDO! Hoje em dia a comida é frita em óleo vegetal. Na verdade ficam impregnadas de óleo vegetal. Como pode mais vegetal ser prejudicial para você?
P: Flexões ajudam a reduzir a gordura?
R: Absolutamente não! Exercitar um músculo faz apenas com que ele aumente de tamanho.
P: Chocolate faz mal?
R: Ficou maluco? Cacau! Outro vegetal! É uma comida boa pra se ficar feliz !!!
E lembre-se:
A vida não deve ser uma viagem para o túmulo, com a intenção de chegar lá são e salvo, com um corpo atraente e bem preservado.
Melhor enfiar o pé na jaca. Cerveja numa mão e tira gosto na outra. Corpo completamente gasto, totalmente usado e gritando: VALEU A  VIAGEM!!!
E PS: SE CAMINHAR FOSSE SAUDÁVEL, O CARTEIRO SERIA IMORTAL!

A verdadeira amizade

Então, faz de conta que é sexta-feira a noite, estamos num bar. Somos em cinco pessoas conversando sobre assuntos comuns. Eu visto um jeans velho, um casaquinho fino, pois faz frio na noite paulista, estou de star branco e um bolsa Balenciaga. Trago o cigarro na bolsa (ninguém é perfeito), meu celular, batons e outras coisitas mais.

Meu amigo ao lado pede mais uma dose de wisky, eu completo meu copo com cerveja enquanto rio muito do último ‘causo’ contado.

Quando você está nesses momentos com os amigos falta alguma coisa? Você sente medo, receios, insegurança? Eu não! Amigos são mais que jóias raras, são verdadeiros baús de tesouros que devemos preservar pra sempre.

Se um dia você casar, descasar, se um dia você brigar com o namorado, se um dia você quiser largar tudo e virar hippie pode ter certeza que terá alguém do seu lado. E não será a pessoa que você julga ser o amor da sua vida e sim será o SEU AMIGO, pois a amizade é um amor que nunca acaba. Preserve isso!

Eu tenho vários colegas, mas amigos (as) mesmo são pouquíssimos, conto com os dedos de uma mão só, mas eles me completam muito mais que qualquer outra coisa.

Não estou escrevendo isso porque hoje é dia do amigo, ou porque recebi uma corrente e seu eu quebrar vou ter 10 anos de má sorte e meu cabelo vai cair. Escrevo isso por pura SAUDADE, mas com a alegria que construi nessa vida a coisa mais linda que há: VERDADEIRAS AMIZADES.